Saiba_como_elaborar_montagem_de_pratos_iguais_aos_dos_restaurantes.jpg.jpeg

Saiba como elaborar montagem de pratos iguais aos dos restaurantes

A culinária é a arte de preparar alimentos capazes de agradar até as pessoas mais exigentes. Entretanto, não é apenas ao paladar que atenta um chef no preparo de um prato, mas também a outro sentido: a visão.

Sendo assim, ser meticuloso na montagem de pratos, conferindo a eles contornos de obra de arte, é tão importante quanto acertar a mão no tempero. Vamos ensinar agora alguns segredos dessa arte para que você possa fazer, em sua casa, uma apresentação digna dos melhores restaurantes! Confira!

Quantidade

A primeira dica diz respeito à quantidade de comida que se coloca no prato. Para que ele possa ser devidamente montado, o ideal é que a quantidade de comida seja suficiente para alimentar a pessoa, mas também para permitir que tudo aquilo que está incorporado ao prato possa ser visto, compreendido e apreciado.

A medida utilizada pelos chefs costuma ser de 2/3 do prato preenchido por alimentos. As partes que restam vazias servem como um contraste que valoriza o alimento servido.

Estímulo aos sentidos

Quem já assistiu a algum dos inúmeros programas de culinária transmitidos pela televisão já deve ter percebido como os jurados degustam o todo do prato, atentando para a singularidade dos ingredientes. O que eles procuram é perceber, com clareza, quais estímulos o seu corpo recebe ao provar aquela comida.

Por essa razão, restaurantes costumam apostar em uma fórmula simples, segundo a qual o prato deve conter uma fonte de proteína, um acompanhamento e uma guarnição. Tendo esse modelo em vista, parte-se para a criatividade a fim de provocar os sentidos de quem prova o prato.

Um ingrediente mais ácido, algo mais crocante, algum elemento mais colorido: essa mistura será a responsável por fazer visão, paladar e até audição trabalharem em conjunto, dando uma sensação mais completa à refeição.

Salada

Pratos de salada costumam se tornar mais atraentes conforme o volume. Foi-se o tempo dos alimentos chapados dispostos no prato. Assim, aposte em folhas de diferentes tonalidades e texturas. É importante também que as verduras estejam cortadas de maneira que os pedaços já possam ser levados diretamente à boca.

O ideal é rasgar as folhas com as mãos após a retirada dos talos. Já para as ervas, como a salsinha, a recomendação é servi-las no próprio cabinho.

O molho deve ser servido separadamente por dois motivos simples: permite que a pessoa se sirva na quantidade que considerar adequada e impede que o prato fique encharcado se demorar um pouco mais a ser servido.

Prato principal

Recomenda-se que a proteína seja disposta sempre no canto inferior direito do prato, mais próximo do centro do que da borda. Além disso, selar a carne fará com que ela pareça mais apetitosa. Para guarnição e acompanhamento, o ideal é que uma parte seja em vegetais, e a outra, em algum tipo de carboidrato.

A disposição dos alimentos deve sempre partir do centro para as bordas. Se for servir algum alimento formado por um conjunto de pequenas unidades, recomenda-se que sejam colocadas no prato em quantidade ímpar, pois as unidades da extremidade criam a sensação de moldura no restante das peças.

Para dar volume ao prato, você pode usar camadas, dispondo a proteína sobre os carboidratos, por exemplo.

Complementos

Para desenhar nos pratos, fazendo riscos ou simples gotas, você pode utilizar uma bisnaga dessas de ketchup, semelhante as de lanchonetes. Os desenhos podem ser feitos a partir de vinagre balsâmico ou de um molho preparado por você. Lembre-se de limpar as bordas do prato com papel toalha antes de levá-lo a mesa, para garantir que somente o desenho pretendido estará exposto.

Vale ainda ornamentar o prato com ervas, como hortelã, ou mesmo flores comestíveis. E, por falar nisso, vai aqui uma dica importante: tudo o que estiver no prato deve ser comestível. Por mais bonito que um adereço possa parecer, se tiver de ser retirado do prato na hora de comer, é sinal de que não deveria nem estar ali.

Além disso, não há nada mais interessante e original do que estar antenado às novidades do mundo culinário. Então, para complementar a sua montagem de pratos, que tal seguir algumas tendências gastronômicas para este ano?

Alimentação saudável

Foi-se o tempo em que comida rápida, as famosas fast-food, estavam em alta. Hoje, mais do que rapidez na montagem do prato, as pessoas querem qualidade na alimentação. Assim como as saladas no pote, que fizeram sucesso no começo do ano, vale apostar nas bowls saudáveis.

Assim, no lugar de montar a refeição em um prato convencional, por que não substituí-lo por uma tigela recheada de salada? Com um formato fundo e arredondo, as bowls permitem uma montagem interessante e completa, abusando de verduras e legumes, além de serem perfeitas para levar para qualquer lugar.

Dá até para complementar a salada na tigela com algo crocante, sem deixar de ser saudável, como os deliciosos snacks feitos de frutas. Maçã e abobrinha assadas, em formato de chips, são a tendência para o ano.

Autosserviço

Com a correria dia a dia, o autosserviço, também conhecido como self-service, é uma tendência cada vez maior para o futuro. E essa será uma realidade não somente em restaurantes, mas também em outros tipos de estabelecimentos, como bares e padarias.

O serviço, além de ajudar a evitar o desperdício, faz com que o atendimento seja mais rápido, já que não é necessário esperar por um garçom ou uma atendente. Além disso, você pode colocar em prática seus talentos decorativos para montar seu próprio prato. Afinal, não é por ser um self-service que a comida deve ser colocada no prato de qualquer jeito, não é mesmo?

Brunch

Essa palavrinha estranha, junção das palavras inglesas breakfast (café da manhã) e lunch (almoço), tem sido cada vez mais ouvida por aí. Então não é surpresa que o brunch tenha se tornado uma tendência. A refeição, com ares de café da manhã, é reforçada o bastante para substituir um almoço.

A montagem em um brunch é sempre bastante clássica, com louças elegantes e pratos pequenos, já que, no brunch, as pessoas comem em porções menores. Com relação ao que é servido, a variedade é imensa, desde pães, ovos e panquecas até tortas, frutas e frios.

Finger Food

Aproveitando o tópico anterior, vamos falar de outra forma de apresentação culinária, que é o finger food. Se você foi em algum casamento nos últimos tempos, já deve ter se deparado com essa tendência. Finger food, traduzido literalmente, seria “comer com os dedos”.

E é exatamente isso: servir os convidados com porções pequenas, que podem ser devorada em uma ou duas mordidas — como os canapés — e impressionam pela praticidade.

As porções de finger food podem ser servidas de diferentes formas: em pratinhos, no palito, em copinhos e até em mini-cumbucas.

Eat With

Que tal comer uma massa italiana em Roma? Ou uma típica parrilla argentina? Na onda do Uber, o aplicativo Eat With reúne pessoas ao redor do mundo que abrem suas casas para receberem convidados, a fim de compartilharem refeições.

Essa é uma nova forma de preparar um evento social, cozinhando para viajantes e, de quebra, mostrando seus talentos na cozinha ao preparar um belíssimo prato brasileiro.

Seguindo essas dicas e tendências, você será capaz de surpreender a todos com sua habilidade na montagem de pratos.

Você curtiu nossas dicas sobre culinária? Então continue em nosso blog e leia agora mesmo o texto “Como fazer um cardápio vegano e vegetariano” para complementar ainda mais as suas habilidades gastronômicas!

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.