manual-do-viajante-6-dicas-para-economizar-na-alta-temporada.jpeg

Manual do viajante: 6 dicas para economizar na alta temporada

Você, finalmente, poderá aproveitar suas férias, porém percebe que este momento de paz caiu exatamente em um período com muita procura. Todos sabemos que, nessas épocas, os valores de passagens, hospedagens e, até mesmo, de certos atrativos turísticos locais aumentam.

Realmente pode parecer difícil encontrar formas de deixar essa situação menos assustadora para o seu bolso. Porém, por outro lado, se você faz um bom planejamento e se organiza previamente, é possível amenizar esse fato.

Por isso, por meio desse manual do viajante vamos dar cinco dicas de como economizar até na alta temporada. Acompanhe!

1. Se antecipe e pesquise bastante

Quanto antes souber quando será seu período de férias e para onde pretende viajar, melhor! É uma maneira de ir se programando e buscando por voos ou hospedagens mais antecipadamente. Também é interessante verificar se o hotel no qual você se hospedará está localizado próximo às atrações que quer conhecer.

2. Negocie a reserva com o hotel

Por mais que encontre diversas promoções, diferentes formas de pagamento, ou certas facilidades de alguns sites, o contato direto com o hotel sempre será mais satisfatório. É possível informar os valores que encontrou pela internet e aguardar uma proposta para efetuar sua reserva já em uma ligação ou troca de e-mails, com a certeza de conseguir as melhores condições.

3. Busque alguns destinos mais alternativos

É bem comum que, em festas de final de ano, por exemplo, as pessoas busquem por ir para o litoral do Brasil. Obviamente, viagens para esses destinos ficam mais caras nesse período.

Por isso, procurar opções menos visitadas nestas épocas (como cidades rurais com algumas cachoeiras, municípios históricos no centro do país, ou até viagens internacionais), são alternativas que, certamente, serão mais econômicas.

4. Viaje durante a semana

O fluxo de pessoas em aeroportos durante o fim de semana é maior. Claro que as companhias aéreas têm conhecimento disso e não deixam de aproveitar para aumentar os preços entre sexta-feira e segunda-feira. Sabendo disso, procure se programar para viajar durante a semana e garantir valores mais baixos.

5. Economize em suas refeições

Alguns hotéis dispõem de microondas ou, em alguns casos, fogões em suas acomodações, o que facilita que você compre alguns itens para preparar suas próprias refeições. Com certeza será mais barato do que se alimentar em restaurantes pela cidade, mas é claro que você não deixará de experimentar as comidas típicas do lugar que for conhecer, não é?

6. Viaje em grupo

Essa é uma das maneiras mais práticas para conseguir descontos em hotéis, por se tratar de um grupo maior de pessoas. Também é uma garantia de que vocês poderão dividir as despesas da viagem entre mais gente, ficando mais barato pra todos.

O mais importante é que você se divirta em seu passeio. Aproveite para estar com quem você gosta e conhecer culturas e lugares novos. Com o que abordamos nesse texto, sua diversão ficará mais barata, estão será ainda melhor!

Gostou das dicas? Com nosso manual do viajante, é possível saber por onde começar quando se quer economizar em sua viagem durante a alta temporada. Compartilhe em suas redes sociais, assim você ajuda seus amigos e, quem sabe, já começa em montar um grupo para sair por ai?

manual-do-viajante-como-aprender-ingles-em-um-intercambio.jpeg

Manual do viajante: como aprender inglês em um intercâmbio?

Fazer um intercâmbio é um sonho que pode abrir portas. Desde a vivência em um país estrangeiro até o domínio de uma segunda língua — normalmente o inglês —, tudo é muito enriquecedor. Mas você sabe como um manual do viajante pode ajudar você a tirar melhor proveito dessa experiência?

Para quem não pode passar vários meses no exterior, existem programas que permitem estudar o idioma por um mês em um país onde ele é nativo. Mas essa viagem deve ser planejada, para que tudo ocorra bem e você retorne com seu nível de inglês bastante elevado.

Se você pretende aprender inglês em um intercâmbio, continue a leitura deste manual do viajante e confira as dicas que preparamos para você!

Como planejar um intercâmbio?

É comum as pessoas ficarem um pouco confusas quando precisam planejar uma coisa tão importante quanto um intercâmbio. Porém, com as dicas a seguir, esse processo não só será mais fácil, como prazeroso.

Defina um objetivo

Nem todos os intercâmbios são iguais. Algumas pessoas desejam só aprender a língua. Outras querem trabalhar e estudar. Há ainda aquelas que gostariam de fazer um curso de qualificação profissional no país de destino. Para tirar bom proveito da sua experiência, é importante saber bem qual é o seu caso.

Faça um planejamento financeiro

O intercâmbio é um investimento na sua carreira e em você mesmo; portanto, demandará investimentos. Faça uma pesquisa prévia e um levantamento da quantia necessária para realizá-lo. Depois, organize suas finanças de forma a alcançar o objetivo.

Escolha o país e a cidade

Além da língua, há outros fatores que influenciam nessa decisão. O clima, os costumes, a culinária e os pontos de interesse da cidade e do país são apenas alguns deles. Considere tudo o que é prioridade para você antes de se decidir por um destino.

Procure uma agência de intercâmbio

A contratação de uma agência tornará o processo mais fácil. Além disso, você terá assistência especializada, caso haja algum imprevisto. Pesquise e peça recomendações a pessoas que conhece para escolher uma empresa idônea e competente.

Providencie a documentação necessária

O último passo é providenciar os documentos. Verifique se o seu passaporte está em dia e se há necessidade de visto para o país de destino e outros documentos, como o certificado internacional de vacinação. Faça isso com antecedência, pois algumas dessas coisas podem demorar.

Como um intercâmbio pode ajudar a aprender a língua?

Só o fato de estar em um país que fala uma língua diferente já é uma experiência que proporciona um aprendizado rápido. Mas você ainda pode ir mais fundo nessa vivência e tirar um proveito maior do seu intercâmbio. O mais importante é criar vários pontos de contato com a língua e a cultura locais.

Uma forma de fazer isso é se envolver com os nativos, em vez de ficar só com a comunidade de estrangeiros. Para isso, faça atividades em grupo que proporcionem a socialização. Aulas e esportes são ótimos nesse sentido.

Outra boa dica é deixar o individualismo de lado por um mês e aproveitar as acomodações coletivas. Falar com o seu colega de quarto em inglês será mais uma oportunidade para praticar.

Durante as aulas de inglês, deixe a timidez de lado e tente se arriscar. O aprendizado é ainda maior quando você comete erros e consegue corrigi-los. Portanto, não tenha medo de errar. Como diz o ditado, quem não arrisca, não petisca.

Se bem aproveitado, um intercâmbio pode equivaler a um ou até dois semestres inteiros de um curso de inglês convencional no seu próprio país. Até mesmo pessoas que não falam ou têm um nível muito básico do idioma conseguem fazer grandes progressos. Então, se você tem esse sonho, aproveite as dicas do nosso manual do viajante e comece já a planejar a sua próxima aventura!

Nossas redes sociais contam com muitos outros conteúdos interessantes. Siga-nos no Twitter, LinkedIn e Facebook!

manual-do-viajante-5-dicas-infaliveis-para-encontrar-o-melhor-hotel.jpeg

Manual do Viajante: 5 dicas infalíveis para encontrar o melhor hotel

Viajar é sempre bom, mas durante o planejamento sempre podem aparecer algumas dúvidas e é bom estar atento para acertar na escolha. Entre elas, encontrar o hotel ideal para sua estadia pode demandar um pouco de trabalho e atenção. Afinal, escolher errado pode arruinar com todo o seu roteiro.

Por isso, preparamos um novo manual do viajante, dessa vez, trazendo as melhores dicas de como achar a hospedagem perfeita para você, independentemente do tipo de viagem. Quer conferir? Continue a leitura e tome nota dos pontos mais importantes. Depois que acabar o texto, é só preparar as malas. Vamos lá?

1. Use sites para comparar os preços

O primeiro ponto importante de nosso manual do viajante para encontrar um bom hotel é saber onde pesquisar. Existe uma infinidade de buscadores específicos para isso, como o Booking e o Decolar.

O legal desses sites é que, em poucos cliques, você consegue ter uma visão geral de todos os estabelecimentos do destino escolhido. Além disso, pode dar a sorte de encontrar descontos especiais, em algumas datas.

2. Confira os comentários dos últimos hóspedes

Nos próprios sites que destacamos no tópico anterior, além de conferir os dados e preços do estabelecimento, é possível conferir os últimos comentários dos hóspedes que passaram por lá. Dessa forma, você consegue ter uma noção do atendimento e da estrutura oferecida pelo hotel.

Outra fonte importantíssima, que deve ser conferida, é o TripAdvisor. Esse site serve, basicamente, como um espaço para comentários e qualificações de estabelecimentos por parte dos clientes. Se o hotel tem uma boa reputação, provavelmente, contará com uma pontuação positiva no portal.

3. Pesquise por pacotes especiais

Em nosso manual do viajante, não poderia faltar um tópico exclusivo para os pacotes especiais. Todo hotel que oferece essa vantagem já ganha um ponto a mais e, sem dúvidas, é motivo de pesquisar, mais a fundo, os benefícios oferecidos.

Por isso, sempre acesse, também, o site próprio do estabelecimento e confira se o mesmo oferece alguma promoção especial. Quem não gosta de aproveitar um desconto?

4. Dê uma olhada nos serviços oferecidos

Um hotel bom não vai oferecer somente um quarto confortável. Os serviços prestados fazem toda a diferença e, inclusive, pode ser o ponto crucial para fazer a sua escolha, concorda?

Por isso, confira se há área de lazer, piscina, sala de jogos, bar, restaurante, academia, entre outras estruturas. Um ambiente completo sempre vai oferecer maior comodidade e conforto durante a sua estadia.

5. Leve em consideração a localização

Para fechar nosso manual do viajante de como escolher um bom hotel, outro ponto importante a ser levado em consideração é a localização. Afinal, se hospedar longe dos atrativos e do comércio pode ser uma complicação para o hospede.

Além de perder dinheiro com transporte, lembre-se do tempo que vai precisar gastar para se locomover, também. Por isso, antes de fechar qualquer reserva, confira a localização.

Essas foram as dicas de nosso manual do viajante de como encontrar os melhores hotéis. Seja a negócios, seja a lazer, acertar nessa escolha é fundamental para você aproveitar cada momento de sua viagem e também dos serviços oferecidos.

Curtiu? Você também costuma viajar? Qual outra dica infalível não pode ficar de fora do manual do viajante? Deixe seu comentário aqui e compartilhe conosco.

zoo-de-americana-uma-otima-opcao-para-visitar-na-regiao-de-sumare.jpeg

Zoo de Americana: uma ótima opção para visitar na região de Sumaré

Muitas vezes, o estilo de vida urbano pode nos causar estresse. Há prédio por todos os cantos, rotinas do trabalho cada vez mais agitadas, trânsito na hora de voltar para casa, entre outras situações. E uma hora, tudo isso nos exigirá que as atividades sejam desaceleradas. Se você já sente que esse momento está para chegar, a dica da vez é conhecer o Zoo Americana.

Esse local dentro de São Paulo e ao redor da região de Sumaré, oferece uma estrutura que permite a conexão com a natureza. É impossível não sensibilizar com as plantas e animais exóticos presentes no local.

Quer saber mais? Acompanhe este post e descubra a história, a infraestrutura, as condições dos animais e como é feito o acesso ao Zoo. Confira!

A história do Zoo Americana

Conhecido também como Parque Ecológico Municipal de Americana Eng. Cid Almeida Franco, o Zoo Americana foi inaugurado em 1984. Seu nome original se deve a uma homenagem feita à família do engenheiro Cid Almeida Franco, responsável pela implantação do zoológico.

Antes de exercer essa função, o espaço onde é hoje o Zoo Americana era utilizado como local de produção de mudas de árvores e arbustos. Essas plantas eram destinadas para abastecer as praças da cidade. Nos anos 80, o local foi transformado em um dos melhores zoológicos do Estado de São Paulo, batendo o recorde de receber mais de 500 mil visitantes por ano.

Hoje em dia, a maior funcionalidade do Zoo Americana é permitir que animais mantidos em cativeiro sejam referência para estudos de Educação Ambiental. Todos os projetos visam pesquisar e, até mesmo, reproduzir as espécies silvestres que já se encontram em extinção em algumas partes do país.

A localização e estrutura do Zoo Americana

Aos arredores da região de Sumaré – São Paulo, aproximadamente 40 quilômetros de Campinas, o Zoo Americana está localizado no final da Avenida Brasil. São aproximadamente 120 mil m² ocupados por cerca de 400 animais de 100 espécies diferentes — 80% pertencem à fauna brasileira e muitas estão ameaçadas de extinção.

Formado por lanchonetes, estacionamento gratuito para carros, motos e ônibus, o Zoo Americana é ideal para o passeio de toda família. Inclusive é permitido levar a própria alimentação e fazer piquenique em determinadas áreas do espaço.

Condição dos animais do Zoo Americana

Diante da grandiosidade e variedade de animais, o Zoo Americana é mal interpretado no sentido de trancafiar animais em extinção. Na verdade, eles chegam no Zoo de várias maneiras, como por doação de outros zoológicos ou porque foram apreendidos pela polícia ambiental em ações de repressão ao tráfico.

Para garantir a preservação e reprodução das espécies em extinção, o Zoo oferece um ambiente mais adequado. Há uma equipe enorme de veterinários, biólogos e demais profissionais que cuidam da alimentação e outros cuidados necessário para manter a saúde dos bichinhos.

Compra de ingressos no Zoo Americana

A entrada no Zoo Americana é bastante acessível, custando apenas R$4,00 para visitantes com idade entre 12 e 59 anos, R$2,00 para crianças de 6 a 11 anos e totalmente gratuita para:

  • crianças com idade abaixo dos 5 anos de idade;
  • adultos com 60 anos ou mais;
  • pessoas com deficiência e acompanhantes;
  • alunos, professores e monitores das redes municipais e estaduais de ensino público com sede no município de Americana e previamente agendados.

Além disso, em um fim de semana de cada mês os moradores de Americana não pagam, mas esses devem apresentar um comprovante de endereço.

Essas foram algumas informações sobre o Zoo Americana que achamos importante destacar. Também é interessante ressaltar que a preservação dos animais e os projetos educacionais são fundamentais para criar consciência da importância socioambiental desse espaço para a cidade e o Brasil. Por isso, não deixe de visitar o local.

E você, já conhece a região de Sumaré? Então, conte para a gente deixando o seu comentário neste post!